Category Archives: Goiás

GO – CONHEÇA OS DANOS QUE A AUSÊNCIA PATERNA PODE TRAZER PARA UMA CRIANÇA

(transcrição)

As crianças, normalmente, não compreendem porque seus pais saíram de suas vidas e passam a se sentir culpada por isso

A nossa sociedade passa, constantemente, por mudanças, hoje, muitas situações que, antigamente eram vistas como tabu, são aceitas e compreendidas por boa parte da população. Por outro lado, ser mãe solteira, por exemplo, ainda é visto como algum ruim e errado por algumas pessoas, quando na verdade, o grande problema são os pais que não reconhecem seus filhos e, por essa razão, podem desencadear consequências devastadoras na vida dessas crianças.

De acordo com a coach de relacionamento amoroso, convivência familiar e Divórcio, Daniela Teixeira, baseada na visão da psicóloga Lisa René Reynolds, a sensação de abandono que as crianças sentem quando um de seus pais desaparece de sua vida, pode acompanhá-la pelo resto de sua existência. “Elas não entendem as complexidades de um relacionamento difícil e de uma separação, e só pensam na razão porque o pai ou a mãe não quis ficar perto delas. Muitas acham que não merecem o afeto do pai que foi embora ou que a culpa por ele ter partido é sua”, alerta.

Daniela destaca que, infelizmente, a maioria dos pais subestima a capacidade das crianças de entender o que está acontecendo. “Lisa afirma que a mãe nunca deve colocar esse fardo nos ombros dos filhos. O que a mãe precisa fazer é explicar aos filhos de maneira simples, usando palavras diretas e termos claros, que o pai não está presente, mas que ela os ama e repetir quantas vezes for necessário que eles não foram responsáveis pela ausência do pai. Ela também deve aceitar toda e qualquer manifestação de sentimento de raiva e mágoa dos seus filhos, pois evitarão as marcas que decorrem da raiva reprimida e não devem criar falsas esperanças de que o pai vai melhorar e em breve retornará um contato regular”.

É preciso lembrar que a figura paterna tem grande peso na vida de uma criança. Daniela explica que a literatura médica aponta que a participação efetiva do pai na vida de um filho de forma saudável pode promover segurança, autoestima, independência e estabilidade emocional. “As conseqüências, de se ter uma ausência da figura paterna, ou uma relação não saudável entre pai e filho pode acarretar em dificuldades de adaptação às regras sociais, bem como nas relações interpessoais e identificação sexual”, ressalta.

Além disso, é importante até mesmo para que as mães possam ter seus momentos. Aquelas que cuidam de si mesmas têm mais capacidade de ser fortes e presentes para seus filhos, do que as que não se cuidam. Toda pessoa precisa descansar e cuidar de si. Quando os filhos estiverem com o pai, a mãe não deve se preocupar com o que eles estão fazendo. “Ela pode aproveitar esse tempo para fazer algo de que realmente goste, como tomar um banho relaxante, assistir a um filme, sair com amigas ou até mesmo tirar uma soneca. Arrisco-me a dizer que a separação pode trazer um grande benefício para a mãe. Não é todo mundo que tem a oportunidade de descansar da rotina desgastante de criar filhos. A saudade e o repouso funcionam como “remédios” revigorantes que contribuem para a melhora da qualidade de vida de toda a família. Se a mãe tiver sempre em mente que cuidar de si mesma está diretamente relacionado com o bem-estar de seus filhos, vai conseguir usar a criatividade para encontrar um tempinho só para ela”, ensina Daniela.

ALIENAÇÃO PARENTAL

Nesse contexto, também podemos citar outra situação que pode desencadear grandes problemas na família, que é a Alienação Parental. Segundo a coach Daniela Teixeira, consiste em programar uma criança para odiar, sem motivo, um de seus genitores até que a própria criança ingresse na trajetória de desconstrução desse genitor. Num pressuposto de imaturidade e instabilidade emocional, o alienador utiliza o filho como instrumento de agressividade direcionada ao outro, principalmente quando padece de sentimentos de abandono e rejeição enquanto fantasmas de uma relação ainda não adequadamente resolvida através de um luto bem elaborado. “Eu sou Diretora, no Estado de Goiás, da Associação Brasileira Criança Feliz e nós acreditamos que unidos por um mesmo propósito, que é o combate à Alienação Parental, conseguiremos proteger crianças e adolescentes que sofrem com os malefícios que ela produz, por isso realizamos diversos eventos pelo Brasil, principalmente a Semana Nacional de Conscientização da Alienação Parental, que acontece em abril e a Campanha Internacional Criança Feliz, que se realiza em outubro, para conscientizar a população sobre a existência e os danos causados pela alienação parental. Convido a todos para obterem mais informações sobre alienação parental e acompanharem a programação da ABCF no site: www.criancafeliz.org“, revela.

Daniela comenta que a alienação parental possui muitos rostos e fala muitas línguas. Pode manifestar-se de formas muito diferentes, mas todas elas configuram um abuso contra a criança, prejudicando seu desenvolvimento emocional saudável e as relações afetivas primordiais. “Na alienação parental, a lealdade ao alienador implica a deslealdade ao alienado, e o filho sofrerá continuamente uma situação de dependência e submissão às provas de lealdade, especialmente pelo medo de ser abandonado, pois a mais grave ameaça afetiva é a perda do amor dos pais”.

Nesse nível de conflitualidade, o filho é constrangido a escolher entre os genitores, o que está em total oposição ao seu desenvolvimento normal e saudável. “O genitor alienador luta para que a sua verdade seja a verdade também dos outros. Com o tempo, nem o alienador distingue mais a diferença entre verdade e mentira. A sua verdade passa a ser verdade para o filho, que vive com falsos personagens de uma falsa existência, implantando-se, assim, falsas memórias. Mais informações sobre o assunto podem ser encontradas na Cartilha de Alienação Parental da ABCF”, finaliza.



Sábado – 28 de Fevereiro de 2015por Família,Comportamento

Fonte: http://www.revistanovafamilia.com.br/index.php?link=modulos/conteudo/views/viewConteudoId.php&id=810